Aquela lição do Homem Aranha

Sou um cara que aprendeu a lidar com todas as grandes responsabilidades que a vida me impôs, ainda que tenha ficado angustiado com boa parte delas. Aprendi cedo que o papai precisava ir para um lado, enquanto a mamãe ficava comigo do outro. Fui obrigado a entender que eu não teria as melhores escolas à minha disposição, mas eu tinha que me esforçar para ser um bom aluno.

Um dia descobri que havia virado pai, sem nunca ter fecundado um óvulo sequer. Descobri que pessoas que eu amo dependem de mim, às vezes exclusivamente de mim. Percebi que aquela brincadeira divertida de escrever teria que virar instrumento de sobrevivência, o que a tornaria um pouco menos atraente. Descobri que precisava ser leal, amigo, solidário, coerente e espirituoso com uma única pessoa.

Descobri da pior forma que tinha me tornado o cuidador da pessoa que deveria cuidar de mim. Aprendi que algumas situações precisam chegar ao extremo para poder aliviar.

 Sem perceber virei dono-de-casa. E antes de desvirar eu tive que apanhar, e tive também que bater. Dizem até que bato bem. Mas pra quem nunca gostou de desrespeitar ninguém, a humilhação foi um desafio duro de vencer.

Fui testado, e continuo sendo, no posto de chefe de mim mesmo. O cara que tem responsabilidades e não pode esperar pra ser cobrado. Aquele que, se fizer besteira, dificilmente alguém poderá corrigir. Por isso descobri que tenho que ser organizado, cuidadoso, dedicado, habilidoso e sereno. Tenho que equilibrar o ouvir e o falar, e torcer pra corda não se quebrar.

Mudanças como essas são recebidas com muita dificuldade por qualquer pessoa. Alguém vai dizer que não? Muitas vezes elas tiram um sorriso do rosto, trazem algumas lágrimas, várias rugas, centenas de fios brancos na cabeleira e um monte de outros efeitos colaterais. E há quem diga que é um prato cheio para se desesperar, enlouquecer e jogar tudo pro ar.

Bobagem. O bom da vida é que tudo tem dois lados. Ou três, ou trinta. Tanta responsabilidade traz amadurecimento, ajuda a formar um caráter. Vencer dificuldades me fez valorizar as pessoas que amo e as pequenas coisas da vida. Uma foto no dia 11, um beijo diário enquanto durmo pesado, ou até mesmo o carinho velado enquanto finjo que durmo.

 Hoje sou um cara extremamente feliz, culpa de todos os sofrimentos, as dificuldades, as lágrimas, o pessimismo temporário e a tristeza passageira. Mas como desafios nunca são poucos, tenho certeza que toda essa felicidade pode aumentar ainda mais. E vai!

Anúncios

3 comentários sobre “Aquela lição do Homem Aranha

  1. Michele Gouvêa

    E é com orgulho e felicidade que digo ter presenciado boa parte desses cabelos brancos aparecerem…Felicidade porque vi você se tornar mais maduro, responsável, competente…te vi errar, querendo acertar e mais do que isso, vi você sendo você.
    Também amo os dias 11, as conversas sem fim e o silêncio necessário…amo a companhia, os sonhos, projetos e mais do que tudo, amo saber que posso estender a mão e te alcançar. Bom é poder continuar me reiventando com você.
    Amo-te Tatu =*

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s