A Privataria é Imortal

Imagem

O nome do ex-presidente da república, Fernando Henrique Cardoso (conhecido pela alcunha de FHC), surgiu como favorito para ocupar a cadeira nº 36 da nossa querida Academia Brasileira de Letras (ABL). Prestigiadíssimo pela nata coalhada dos veículos de comunicação do Brasil, o sociólogo é quase unanimidade, e deve ficar com a vaga.

Acontece que tá rolando na internet uma petição pública pedindo que a honraria seja dada ao jornalista Amaury Ribeiro Junior, ninguém mais ninguém menos que o autor do livro Privataria Tucana. A obra tem fortes ligações com o ex-presidente, já que denuncia os esquemas do PSDB no período em que o partido privatizou o Brasil. 

 A obra tem fortes ligações com o ex-presidente, já que denuncia os esquemas do PSDB no período em que o partido privatizou o Brasil.

Privataria Tucana foi um dos livros mais sensacionais que já li. A riqueza dos documentos apresentados e a investigação minuciosa que o autor fez ao longo dos oito anos de governo tucano surpreende. É o tipo de texto que faz qualquer jornalista acomodado repensar a carreira ao perceber que ainda tem muito que contribuir com a sociedade. Não a toa, foi ignorado por tradicionais empresas de comunicação do país.

É claro que a indicação de Amaury Ribeiro Júnior não será levada em consideração pela ABL. Tradicionalmente, jornalistas que foram imortalizados na Casa seguiram caminhos bem menos republicanos que ele. Mas a petição, que foi proposta pelo blogueiro Altamiro Borges, já tem 6,5 mil assinaturas. Se quiser saber mais sobre o assunto e assinar a petição, acesse o Blog do Miro.

Os candidatos estão no ringue. No canto direito está FHC, apoiado por José Serra, Ricardo Sergio Oliveira e todo o “team” que também foram arrolados no Privataria. Do lado esquerdo, Amaury Ribeiro Júnior tenta desbancar o tradicionalíssimo dedo podre da ABL, e mostrar que bom jornalismo se faz com ética e seriedade. Alea Jacta Est.

Anúncios

Fotografar é preciso

Sempre fui muito apaixonado por fotografia, mas por muitos anos negligenciei essa paixão aqui no Agridoce. Nunca fui fotógrafo profissional. Nem sequer tenho uma câmera profissional. Mas, sempre que posso, arrisco fazer algumas fotos com câmeras amadoras e até mesmo com o celular. Só que essas fotos nunca vieram parar por aqui. A maioria tá guardada em alguma pasta velha do meu computador, esquecida no limbo da minhas lembranças.

As coisas mudaram a partir do momento que conheci o Instagram. A ideia de uma rede social apenas com fotos me deixou empolgado. Tanto para fazer as minhas fotos quanto pra ver a produção dos meus amigos. De uns tempos pra cá tenho postado material quase que diariamente, e isso tem me motivado a produzir mais. Agora decidi compartilhar parte dessas fotografias também com os leitores do Agridoce, e eu espero que todos gostem.

Minhas primeiras fotos postadas serão da viagem que fiz a Parintins (AM), na Semana Santa, pra visitar a minha família. Confiram!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Quem estiver interessado, pode me seguir no http://www.instagram.com/andrespascal