Guia Agridoce Manaus 5.0 – Ele Voltou

Voltei, meus queridos. Após meses de uma abstinência bloguística, decidi enfim voltar a escrever por aqui. Peço desculpas pela ausência, e me comprometo a não tornar os intervalos entre os posts tão grandes assim.

Mas pra não dizer que esse tempo todo foi em vão, gastei boa parte dele me alimentando em biroscas, botecos e pé sujos. Tudo para ampliar negativamente meu conhecimento gastronômico na cidade e trazer para vocês mais uma edição do…

Lanche Família: Pão amanhecido só serve pra vatapá e rabanada. Vocês concordam? Mas o dono desse lanche costuma utilizar verdadeiros fósseis para fazer os sanduíches. É cada um mais duro que o outro, daqueles que viram farelo ao menor toque com o corpo humano. Se você reclamar eles até mandam outro, mas ele virá do mesmo jeito. (Aparecida)

Habib´s: A loja no Parque 10 deu para estragar umas das coisas mais gostosas da franquia: O mini kibe cremily. Pedir no delivery é quase certeza que eles chegarão rachados e secos de creme. No drive thru é muito raro que a esta mini-delícia chegue quentinha em sua boca. Espero, de verdade, que isso seja passageiro. (Parque 10)

Lanche do Pimenta: O sanduíche até que é gostoso, e o cardápio é bem variado. O problema está no delivery. Quando o pedido é em grupo, sempre tem um sorteado que fica sem lanche ou recebe o pedido trocado. Como a entrega demora um pouco, às vezes é melhor comer o que vier ou ficar com fome. (Parque 10)

Lanche Papa Légua: Este lanche volta a entrar na lista do Guia, e novamente por um pequeno detalhe. Reafirmo que a comida é gostosa, e a maionese caseira com orégano é uma tentação. Mas parece que o atendimento piorou na mesma proporção em que o lanche cresceu. O prédio é novo e os garçons agora têm palm tops. Mas eles parecem zumbis desinteressados nos clientes. Fingem que não ouvem e demoram com os pedidos. (Praça 14)

Mika’s Chopp: Essa não é experiência minha, e sim da @DeiseAnne. Ela fez um ótimo e revoltante relato sobre o péssimo atendimento neste estabelecimento, que virou um dos textos mais lidos do blog Cretinas Fellings. Com a autorização das autoras do Blog, tomei a liberdade de incluir aqui no Guia. Obrigado por compartilhar a experiência, meninas. E parabéns pelo blog (Eldorado)

O Guia Agridoce Manaus 5.0 fica por aqui, meus amigos. Confiram a , a , a e a edição deste guia, e não deixem de contribuir. Nosso exército de observadores está crescendo. Tá na hora de vencermos essa batalha contra os garçons mal educados, as lanchonetes sem higiene e seus donos avarentos.

Abraços

Anúncios

Guia Agridoce Manaus 4.0

Essa semana é especial para o Blog Agridoce, que foi lembrado na edição deste domingo da revista Plus, no jornal Diário do Amazonas. Em uma matéria sobre atendimento ao consumidor, muito bem escrita pela amiga Daisy Melo, o Guia Agridoce Manaus é citado como um instrumento de reclamação e troca de informação sobre gastronomia em Manaus.

Como disse, a matéria esta ótima, e cita até um outro blog interessante, o Observatório do Consumidor (http://www.observatoriodoconsumidor.wordpress.com), das professoras Aline Lira, Judy Tavares e Laura Jane. Vale a pena conferir e se manter informado. Já tem muita gente de olho!!!

Para comemorar esse momento especial, apresento a vocês a quarta edição do nosso amado e odiado, Guia Agridoce Manaus.

_________________________________

Lanche do Coxa – Pelo nome já dá pra saber que a comida é de segunda, einh? E é mesmo. Em todo sanduíche é usado um apresuntado horrível (e apresuntado horrível é quase pleonasmo). Como se já não fosse o bastante, o cliente é obrigado a comer ouvindo o proprietário/chapeiro reclamar da cidade de Manaus. Ah, vá… (São José)

Tacacá da Baiana – A dona dessa banquinha passou longe da terra do Senhor do Bonfim. Ela é carioca e muito mal humorada. Além disso, faz um tacacá muito sem graça. Pouco jambú e quase nada de camarão. E se você reclamar da cuia mirradinha ela solta o verbo. “Meu filho, por esse preço que eu faço você deveria agradecer por ter goma”. Detalhe, a cuia não sai por menos de R$ 7. (Centro)

Pizzaria do Ney – Outro estabelecimento não recomendado para clientes apressadinhos. Tanto o serviço de delivery quanto o atendimento presencial são demorados. Se for pedir uma pizza ou uma sopinha, que também é vendida por lá, é bom ter disposição para esperar. Além disso, o estado da pizza quando é entregue pelos motoqueiros é algo deplorável.

Spoleto – É bom? É. Mas as lojas continuam com aquele grave problema de falta de ingredientes. Pra quem gosta de variar nos pratos, é bom chegar cedinho na loja do shopping. No final do mês o problema fica ainda pior. Até os ingredientes mais simples somem da prateleira, e os molhos também costumam ser reduzidos. (Amazonas Shopping)

Vivenda do Camarão – Neste caso a experiência não é minha, mas de leitores do Agridoce. Ouvi a confidência de seis pessoas que passaram dias de rei após degustarem refinados pratos desta franquia. Eu nunca tive esse problema (ainda bem), mas como tenho sangue azul, vou tomar cuidado. (Studio 5 e Amazonas Shopping)

O Chefão – Gosto muito do ambiente desse lugar, e também acho o atendimento de primeira. A reclamação é com relação ao preço, e foi feita por uma leitora do blog. Segundo ela, o mesmo vinho que é vendido à R$ 30 neste sofisticado restaurante, pode ser encontrado a R$ 8 em qualquer prateleira de supermercado em Manaus. A disparidade pode até ser explicada por enólogos. Mas eu não entendo nada. (Centro)

Guia Agridoce Manaus 3.0

Depois de uma temporada em que até  rede de Fast Food foi fechada pela vigilância sanitária, o Guia Agridoce Manaus volta com força total trazendo até vocês o que há de pior na gastronomia local. É, meus amigos, chega de matéria paga falando bem destas espeluncas em revistas nacionais. Em 2009 o nosso blog foi a “mosca na sopa” dos garçons despreparados e maitres sem higiene. E em 2010 isso não haveria de ser diferente. Hoje contaremos com diversas contribuições de leitores. Aproveitem, ou não.

Picanha Mania – Pra começar o ano com pé na porta e tapa na cara, vou falar logo de uma empresa grande e que até tenho certo carinho. É incontestável o sabor delicioso da carne de lá, mas ao abrir a franquia no novo shopping, a empresa pecou na organização. No final do mês é quase impossível conseguir um prato com todas as guarnições, pois elas acabam e não são repostas. E nem pense que vai ganhar desconto por isso. (Manauara)

Rock Dog – Sem dúvida este carrinho de lanche tem o melhor “kikão” da cidade de Manaus. Os sabores exóticos são maravilhosos e o atendimento é super agradável. O único problema são os locais escolhidos para vender o produto. Na Recife, em frente à Unip, a quantidade de carros fumacentos por segundo é surpreendente. Por mais saborosa que a comida seja, sempre fica aquela sensação de que estamos comendo fumaça. No Dom Pedro o problema não é diferente. (Parque 10 e Dom Pedro)

Di Pizza – Tá com pressa, amigo? Então esquece esse número que NÃO vou lhes passar. Nessa pizzaria o pedido sempre…eu disse SEMPRE chega atrasado. Pra justificar o entregador sempre utiliza o mesmo argumento: “Pô, considerado, me perdi ô. Esse bairro é muito grande”. Uma vez você até perdoa, releva, deixa pra lá. Mas quando ele usa a mesma desculpa pela quarta vez, aí não dá. Pra piorar, na última vez que pedi tinha um fio de cabelo oxigenado na Portuguesa. (Cachoeirinha)

Panificadora Barcelona – Fui convidado a experimentar os salgados “maravilhosos” deste estabelecimento, e foi uma das experiências mais frustrantes da minha vida. Lá é tudo invertido. Os sucos e refrigerantes são quentes, os salgados e sanduíches gelados. Sem contar que a variedade é o fraco da empresa. Segundo o meu amigo Silvio Lima, a panificadora era boa, mas começou decair quando reformaram o prédio. “Ficou mais bonita, mas a comida piorou. Vai entender. (Coroado)

Bob´s – Nem precisa falar muita coisa, né? A Vigilância Sanitária já falou por mim. Mas vamos lá citar algumas observações enviadas pela leitora @charmpenellope. Tente dar uma olhadinha de relance na cozinha da lanchonete no Amazonas Shopping. Parece que não tem lata de lixo, porque todas as embalagens de produtos ficam no chão. Já no aeroporto o problema é com a “frescura” da comida. Os sanduíches são feitos com antecedência, e chegam gelados nas bocas dos clientes.

Meus queridos, a lista é longa e vai ser distribuída em outras edições que virão em breve. Mas neste intervalo não deixe de contribuir. Mande sua experiência traumática e livre alguns consumidores de passar pelas mesmas agruras que você passou. O email para contato é andrespascal@gmail.com. Se for muito constrangedor, sua identidade será mantida em sigilo.

Confira também as outras edições do Guia:

Guia Agridoce Manaus 1.0 e Guia Agridoce Manaus 2.0

Grande Abraço a todos

Guia Agridoce Manaus

Seguindo essa tendência heterogênea que sempre permeou os posts do blog, começo hoje com uma coluna pra lá de informativa. É uma versão bastante Acre do que vocês conhecem como Guia Veja Manaus, aquela suplemento que ranqueia os melhores estabelecimentos gastronômico de Manaus. Aqui, divulgaremos os piores:

mosca2

Lanche do Jacaré: Não tive experiências reais com esse local, mas amigos de faculdade contam histórias absurdas. Para quem quer ficou apenas no suquinho, tudo bem. Mas quem ousou comer um dos sanduiches daquele lugar, contabilizou horas de reinado e infecção intestinal. Muitos nunca mais recuperaram o peso perdido. Local: Bairro da União.

Lanche do Evandro: Fez parte de toda a minha vida.Tem o melhor kikão da cidade, e um atendimento quase familiar. Mas se você estiver com pressa, amigo, esquece. Ontem mesmo esperei mais de uma hora por um americano. Local: Japiim

Jorge do Peixe: Com peixes de qualidade e bom gosto, a peixaria mais famosa do Japiim peca no atendimento. Não é exagero. Ao entregar os pratos, o garço/cozinheiro/proprietário demonstra todo seu tato com o público. “Distribui aí. Vê se faz alguma coisa”. Local: Japiim.

Pizzaria Amazônia: No principio não consegui entender o motivo para o local estar tão vazio, já que tem uma boa localização. Porém, depois de provar umas das massas com gosto de pão molhado, nunca mais voltei àquele lugar. Local: Cachoeirinha

Pizzaria Ghiotto: É, meus amigos, o Agridoce não dispensa ninguem. A Ghiotto tem um dos melhores rodízios de pizza da cidade, mas o atendimento é péssimo. Dependendo do local onde vocês se senta, os garçons podem te ignorar a noite toda. Local: Parque 10

Habib’s: Nem as grandes redes de fast-food passam despercebidas pelo crivo do blog. A bronca, dessa vez, é com uma das lojas do grupo, na Cachoeirinha. Além de servir um Beirute muito mal montado,o Geniozinhinho costuma fazer aparecer diversos elementos na sua conta, muitos você nem comeu.Isso deixa a conta cara até para os xeques Árabes. Local: Cachoeirinha

Por enquanto é isso, amigos. Se vocês tem contribuições a dar, mandem e-mail para o andrespascal@gmail.com. Se for muito constrangedor, sua identidade não será revelada. A coluna voltará em breve.

bye, bye rice

Ontem consegui, enfim, concluir a primeira panelada de arroz feita na casa nova. O crime aconteceu poco depois de escrever esse post aí de baixo. Assim que publiquei, senti aquela fome característica dos grandes pensadores. Fui na cozinha, abri a geladeira e olha quem estava lá…

Fiz esse arroz no primeiro sábado aqui em casa (e lá se vão 9 dias). Daquele dia pra cá ele já foi refogado algumas centenas de vezes, e esteve acompanhado dos mais variados alimentos: miojo, frango, miojo-quatro queijos, tirinhas de frango, miojo-pizza, linguiça e até macarronada (de miojo). Ontem ele foi finalizado ao lado de um ovo frito esperto.

É impressionante como comida pode durar quando reduzimos a família e passamos o dia fora de casa. É claro que dei a famosa cheiradinha no arroz antes de comer. Não senti nem um odor que caracterizasse uma possível inutilização do bicho. Também observei que não havia nada se mexendo dentro dele. Então, o que temer, né?

Aos que se preocupam com a minha saúde, tenho me alimentado bem (fora de casa). Aqui ainda como pouco, mas quando como acabo caindo nesse cardápio de “homenzarrão desprendado”, e isso explica os 9 quilos adquiridos citados no post abaixo. Mas é tudo fase…logo compro um microondas e entra a fase da lasanha semi-pronta =p.

Grande Abraço